Dia de festa.

13:54


A fila para entrar estava grande. Não havia como ser diferente, afinal, esta era a festa mais aguardada do momento. Fui com meus melhores amigos, como sempre. Mas mesmo acompanhada, me sentia sozinha. Desde que chegara na fila para entrar naquele clube, me perguntava o porquê de estar naquele lugar - uma vez que não me sentia bem.

A resposta estava a mais ou menos vinte pessoas a minha frente. Lindo, como sempre esteve. Seus olhos reluziam uma animação que contagiava a todos - transmitia a sensação de que aproveitaria a noite como se fosse a ultima. Falava alto, de modo que atraía certos olhares. Rapidamente esqueci o que me afligia.


Entramos. O ambiente do local - decorado com a temática da festa me fez esquecer de tudo lá fora e focar em curtir o momento. Luzes, som, amigos, bebida... estava tudo certo para a noite ser boa. O DJ ainda - como se soubesse - tocava as músicas que agitaram a minha semana. Perfeito. Me joguei com tudo. Estava com as pessoas que mais gostava. Não precisava de mais nada.

Era o que eu pensava!

No meio da pista, em um encontro de olhares, percebi que alguém me encarava, mas a luz ambiente impedia-me de identificar quem era. Até que começou a caminhar em minha direção e pude ver quem era. Era ele! Se aproximava com o mesmo olhar cativante de momentos atras e com um sorriso que fez com que meus pensamentos se difundissem na batida da música. Meu coração disparou e minhas mãos suavam. Até que parou ali, bem na minha frente.

Soltou um riso - provavelmente percebera minha reação ao tê-lo ali. Passou a mão pela minha cintura, levando-me para si em meio a forte e longo um abraço. E, ainda comigo presa a seu corpo sussurrou em meus ouvidos: "Vamos conversar?".



Talvez você goste de:

0 comentários

Blog on Pinterest